Em Agenda

PROJETO DE INTERVENÇÃO ARTÍSTICA

Valorização da Cantaria e Calcetaria

Local: Abiul

É mais do que um projeto, é mais do que uma operação estratégica, é uma marca dos territórios que integram o projeto. Esta marca visa maximizar a estratégia cultural, turística e o desenvolvimento territorial dos municípios parceiros, através de uma programação cultural conjunta.

O Município de Ansião é a entidade líder do projeto Territórios de Pedra e conta com a parceria do Município de Figueiró dos Vinhos e o Município de Pombal. Os eventos e as iniciativas culturais serão desenvolvidas no território, pelos três concelhos.

O projeto de Intervenção artística dirigido por Fernando Freire, terá lugar em Ansião e trabalhará com a comunidade local, na criação de uma instalação escultórica tendo como base a Pedra.

Mais Informações:   teatrocine@cm-pombal.pt    |    236 210 542

MUNICÍPIO DE POMBAL

O concelho de Pombal oferece ao seu visitante uma paisagem singular, desde a Praia do Osso da Baleia, autêntico reduto natural que permanece no seu estado selvagem e livre de construção urbana, até ao cenário montanhoso da Serra de Sicó, onde se escondem verdadeiras riquezas naturais.

Em toda a extensão da Serra de Sicó, são várias as aldeias típicas, com as suas casas e muros de pedra solta que parcelam os campos e onde o tempo flui tranquilamente. Além da paisagem magnífica, a Serra de Sicó delicia ainda amantes de passeios pedestres, BTT, escalada e outros desportos ao ar livre, bem como de espeleologia, com verdadeiros tesouros escondidos.

Território geográfico e naturalmente similar, a pedra calcária é um elemento dominante e agregador da estratégia de desenvolvimento territorial.

Abiul, situada num vale verdejante cercado de outeiros no sopé da Serra do Sicó é o território e cenário eleito para as inúmeras atividades e intervenções artísticas relacionadas com a programação em rede no projeto Territórios de Pedra. Por esta freguesia passa a ribeira do Seiçal. O seu período de maior esplendor foi alcançado entre os finais do século XIII e meados do século XVIII. Os vestígios mais antigos de ocupação do território, datam dos tempos visigóticos, os quais ainda são bem visíveis nas vergas das portas exteriores laterais da sua Igreja Matriz, teria então nessa altura o nome de “Villa” Abizoude.

É a partir deste cenário natural e perspetivando o potencial impacto cultural, económico e turístico no concelho de Pombal e especificamente na freguesia de Abiul, que o Município de Pombal se associa ao projeto Territórios de Pedra.

MUNICÍPIO DE ANSIÃO

É pela cultura e também pelo seu património natural que Ansião define a sua identidade para a qual muito contribuiu a sua localização no Coração de Sicó.

A paisagem aqui é árida e agreste, é feita de pedra. E as pedras, sabemos, contam histórias.

São as pedras que nos revelam o quotidiano dos primeiros povos que por aqui passaram. Sente-se a presença dos romanos no Complexo de Santiago da Guarda, e das gentes que os precederam e das que os sucederam. São disso testemunha os vestígios de castros existentes e as construções medievais de defesa, como a Torre da Ladeia. São as igrejas e as capelas que nos dizem da religiosidade das gentes. Conhecemos ainda a identidade desta região quando adentramos por espaços mais urbanos ou pelas aldeias dispersas.

Foram as construções em pedra que permitiram o girar dos moinhos de vento que abundavam nesta região e tanto contribuíram para que não faltasse o pão na mesa.
Foram as pedras soltas que, colocadas com mestria e tanto esforço, se firmaram umas em cima de outras, delimitando terrenos, para que cada um cuidasse de saber onde começava e acabava o chão que lhe cabia e do qual tirava o sustento.

As pedras iriam ainda permitir que calceteiros e canteiros delas fizessem a arte que embeleza ainda e valoriza sobremaneira o património arquitetónico, dando às ruas e às casas um outro encanto.

Cientes da importância de todos os usos e costumes em que o elemento pedra foi central na formação da nossa identidade, pretende-se que Os Territórios de Pedra convidem ao aprofundamento das suas possibilidades no campo das artes, envolvendo os agentes culturais, a comunidade local e ainda todos quantos tiverem a oportunidade e a sorte de nos poder visitar.

MUNICÍPIO DE FIGUEIRÓ DOS VINHOS

Figueiró dos Vinhos é um concelho com forte ligação à pedra através da sua arquitetura vernacular, embora com um historial misto, de pedra quartzítica, xisto e alguns veios de granito.

Por outro lado, neste território observa-se um passado cultural rico ao nível das artes visuais/plásticas, tendo sido berço de pintores e escultores de referência nacional e internacional, definitivamente ligados à História cultural portuguesa.

Por aqui nasceram Simões de Almeida Júnior (1844-1926) e José Simões de Almeida (Sobrinho – 1880-1950), nomes inolvidáveis do património cultural nacional, sendo o segundo o autor do mais famoso “Busto da República” (1908), atualmente em exposição no Museu da Presidência da República e no Museu e Centro de Artes de Figueiró dos Vinhos.

A emergência da pintura dos dois pintores do Grupo do Leão, Manuel Henrique Pinto e José Malhoa, que acabou por construir casa em Figueiró dos Vinhos a partir de 1893, onde passou grande parte da sua vida e onde acabou por falecer em 1933, é um dos aspetos culturais fortemente identitário do território e amplamente fortalecido pelas políticas culturais locais.

Assim, ambiciona o Município de Figueiró dos Vinhos continuar a sua estratégia de valorização do património cultural local, também ao nível da escultura.

É sob este referencial de passado a valorizar e numa perspetiva de potenciar cruzamentos contemporâneos que Figueiró dos Vinhos se associa ao projeto de programação cultural em rede, totalmente alinhado com a sua estratégia cultural e de desenvolvimento territorial.

Detalhes do Evento
Cartaz do Evento